Amigos da oncologia recebem selo nacional de apoio à saúde da mama

13/10/2014

Aproveitando o mês de conscientização mundial do câncer de mama, a Associação dos Amigos da Oncologia – AMO recebeu o Selo de Instituição Associada da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama – Femama, tornando-se a representante em Sergipe para articulação, influência e formulação de agenda local de políticas públicas em defesa da mulher e da saúde da mama. De acordo com a assistente social Conceição Balbino, presidente voluntária da associação, esse selo legitima ainda mais o papel da instituição na defesa de direitos. “O nosso papel, a partir de agora, é fortalecer a comunicação local e regional para atuar por meio de uma rede de mobilização em defesa da saúde da mulher e na busca incansável pelo direito do paciente de iniciar seu tratamento em até 60 dias após o seu diagnóstico. Tudo isso se dará por ações políticas de comunicação, questionando e pressionando os poderes públicos para garantir a Lei dos 60 dias”, explica a assistente social Conceição Balbino. SOBRE A FEMAMA A Femama é uma associação civil, sem fins econômicos, que busca reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama no Brasil. Desde a sua fundação, em julho de 2006, a Femama, por meio de sua intensa atuação política, vem lutando pela formulação de políticas públicas de atenção à saúde da mama, a fim de garantir maior acesso e qualidade no diagnóstico e tratamento da doença. Entre suas conquistas estão a implementação do Outubro Rosa no Brasil, a articulação para aprovação da Lei 12.732/12 que determina que o tratamento de pacientes diagnosticados com câncer seja iniciado pelo SUS em até 60 dias, o apoio à aprovação da Lei 11.664 que regulamenta a mamografia a partir dos 40 anos pelo SUS, as campanhas de conscientização e os projetos de fortalecimento das organizações filantrópicas associadas, hoje presentes em 17 estados e no Distrito Federal. SOBRE A ASSOCIAÇÃO Atualmente, a associação atende a 1.565 pessoas carentes com câncer, de todas as faixas de idade (criança, adolescente, adulto e idoso), oriundas de todo o estado de Sergipe (capital e interior) e de cidades da Bahia, de Alagoas e Pernambuco. Desse total, 1.064 são mulheres adultas e idosas, com 538 mulheres diagnosticadas com câncer de mama. Esse número expressivo se deve ao alastramento da doença no Brasil. Os novos casos de neoplasia mamária aumentaram em todo o mundo, mas a taxa de mortalidade pode diminuir com o diagnóstico precoce e acesso aos tratamento de saúde. Diante dessas informações, o percentual de casos com esse tipo de câncer na associação supera 50% do público feminino, colocando o câncer de mama na condição de doença epidêmica de alto risco, segundo o Instituto Nacional do Câncer – Inca. Com a finalidade de amenizar essa triste realidade, a associação oferece inúmeros benefícios e assistência multidisciplinar desde o diagnóstico, durante o tratamento terapêutico (cirurgia, quimioterapia e radioterapia) e após essa fase até receber alta médica, numa etapa que pode durar cinco anos ou mais. (ASCOM)

Skip to content