Fisioterapeuta orienta profissionais sobre como notificar lesões relacionadas ao trabalho

26/02/2016

Primeira atividade do ano do Grupo de Estudo Relacionado ao Câncer traz palestra sobre lesões ocasionadas no ambiente de trabalho. No exercício de suas atividades, os trabalhadores estão expostos diariamente a todo tipo de sobrecarga – física, de raciocínio e psicológica. Com elas, a pressão mecânica localizada, determinadas posturas, carga estática, invariabilidade de tarefas, fatores organizacionais e psicossociais contribuem para o surgimento de lesões.

Para abrir o primeiro encontro de atividades do ano do Grupo de Estudos do Câncer Relacionado ao Trabalho (vinculado ao Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest Anísio Dário, da Prefeitura de Aracaju), que aconteceu este mês no miniauditório da Associação dos Amigos da Oncologia – AMO, o fisioterapeuta Alysson Paulino Santana apresentou as duas principais lesões relacionadas ao trabalho.

As lesões por esforços repetitivos, mais conhecida por LER, e os distúrbios osteo-musculares relacionados ao trabalho, agora chamados de DORT, são acometimentos ocupacionais, decorrentes da utilização excessiva do sistema músculo-esquelético, e que exigem tempo para recuperação. Atingem, hoje, milhares de trabalhadores e abrangem outras lesões como tinossinovite, tendinite, bursite e outras.

De acordo com o fisioterapeuta Alysson Paulino, essa orientação é destinada a profissionais de saúde que atendem os trabalhadores nos serviços públicos e privados de saúde e especializados em segurança e medicina do trabalho. “O nosso objetivo é orientar os profissionais da assistência para identificar e notificar os casos de LER/DORT, bem como oferecer subsídios aos órgãos de vigilância para intervenções nos ambientes de trabalho”, explicou o fisioterapeuta. AMO-GRUPODESTUDO-CÂNCER-FEVEREIRO-2016-11 Fisioterapeuta Alysson Paulino explica aos profissionais de saúde sobre como identificar e notificar lesões ocasionadas no trabalho.

SINAIS E SINTOMAS
Os principais sinais e sintomas da LER e DORT são, em primeiro estágio, a sensação de peso, dormência e desconforto em áreas específicas e as sensações passam após descanso de horas ou dias. Num segundo estágio, a localização da dor passa a ser mais precisa e ocasionará perda de sensibilidade, formigamento e inchaço na área afetada.

Mesmo com o repouso prolongado, uma dor persistente aparece num terceiro estágio das lesões e dos distúrbios, com crises de dor aguda, irritabilidade e perda da capacidade de realizar alguns movimentos. Por último, num quarto estágio, a dor aguda se torna constante e migra para outras partes do corpo, com perda de força e do controle dos movimentos, e da capacidade de trabalhar e realizar atividades domésticas.

Skip to content