Voluntariado comemora com assistidos os 18 anos de atuação do projeto “Pão Nosso”

27/12/2014

Mais de 40 voluntários se dedicam com amor de segunda a sexta-feira, por meio de revezamento, na produção diária de um desjejum reforçado e nutritivo, feito nas residências do próprio voluntariado e com recursos próprios, para atender as necessidades mais básicas de pessoas carentes com câncer que são atendidas semanalmente nos centros de saúde do Hospital de Cirurgia, em Aracaju. Há 18 anos, esse serviço é realizado e desfruta de excelente aceitação pela comunidade e por profissionais de saúde. Esse trabalho voluntário se confunde muito com a história da Associação dos Amigos da Oncologia – AMO e honra a nossa missão, de prestar assistência social a pessoas carentes com câncer. Intitulado por “Pão Nosso”, esse serviço foi o primeiro projeto organizado pela associação.

SURGIMENTO
O “Pão Nosso” surgiu da necessidade básica identificada pelo voluntariado: as pessoas em tratamento contra o câncer no Hospital de Cirurgia não se alimentavam antes de iniciar as sessões de quimioterapia e de radioterapia. Muitos pacientes saíam de suas cidades, no interior do estado, ainda na madrugada para iniciar logo cedo suas sessões e permaneciam todo tratamento sem se alimentar. Relatos do passado dão conta de pessoas desmaiando por fome nos ambulatórios do hospital. Essa triste realidade foi transformada e hoje não se vê mais isso. O fornecimento desse desjejum não só atende a uma necessidade básica, como promove qualidade de vida. Pacientes com câncer e seus acompanhantes são beneficiados diariamente.

CREDIBILIDADE
Ao realizar esse trabalho de solidariedade e de amor ao próximo, o voluntariado foi durante muito tempo mal compreendido, tendo sido questionado inúmeras vezes do porquê de realizar esse projeto; se a alimentação fornecida era para ser comercializada e se gerava retorno financeiro para os voluntários; e se a refeição tinha ou não procedência. De acordo com a assistente social Conceição Balbino, presidente-voluntária da AMO, a desconfiança foi vencida e a aceitação foi conquistada. “Todas as perguntas duvidosas foram respondidas ao longo desses 18 anos de realização de projeto. Só uma resposta pôde ser dada para toda e qualquer desconfiança: amor ao próximo”, garante. Os voluntários que se dedicam à produção e entrega do café-da-manhã são orientados a fazer o desjejum com os pacientes com câncer e seus acompanhantes para comprovar a qualidade dos produtos. Neste ano, inclusive, os voluntários foram qualificados pela nutricionista Sandra Maia sobre alimentação saudável e funcional. O projeto celebra datas comemorativas no próprio espaço de tratamento, com atividades lúdicas e música. Nas imagens em anexo, por exemplo, registros da comemoração pelo aniversário dos 18 anos da AMO no centro de quimioterapia do Hospital de Cirurgia. (ASCOM)

Skip to content