AMO e Femama realizaram audiência pública sobre câncer de mama avançado na Assembleia Legislativa de SE

23/06/2015

“Dos 24 deputados estaduais sergipanos, apenas 2 participaram da audiência pública”.

A Associação dos Amigos da Oncologia – AMO e a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama – Femama realizaram no último dia 16 de junho, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe, audiência pública para debater o acesso a tratamentos para câncer de mama avançado no SUS.
Médicos especializados em oncologia, defensores públicos do Estado e da União e um representante da Femama discursaram em tribuna sobre a urgente necessidade de incorporação de medicamentos inovadores para o tratamento do câncer de mama metastático no sistema público de saúde. A luta que vem sendo travada em todo o País, com a mobilização de pacientes, médicos, organizações sociais e indústrias farmacêuticas, é para a dispensação de novos medicamentos na rede pública de saúde, que são capazes de postergar por exemplo a quimioterapia (tratamento agressivo e com fortes efeitos adversos), bem como de proporcionar qualidade e mais tempo de vida.

DESDOBRAMENTOS
Sociedade civil organizada exerce papel fundamental nesse processo[/caption] O objetivo da audiência pública foi apresentar para os representantes políticos sergipanos a triste realidade enfrentada por milhares de mulheres no País. Hoje, para ter acesso a medicamentos inovadores no SUS, muitas mulheres recorrem à judicialização da saúde para ter o tratamento adequado e personalizado. Essa audiência pública vem acontecendo em outros estados. Ela é um desdobramento de manifestações simbólicas ocorridas no dia 4 de fevereiro (Dia Mundial Contra o Câncer), quando as instituições associadas à Femama entregaram ofícios aos gestores públicos de saúde para pactuar a oferta desses medicamentos.

PRESENÇAS
Participaram da Audiência Pública as deputadas estaduais Silvia Fontes (solicitante da Casa legislativa e mediadora da audiência) e Maria Mendonça; os médicos oncologistas Roberto Gurgel e Nivaldo Vieira; os defensores públicos do Estado Saulo Lamartine e da União Vinícius Vinhas; o assessor de relações governamentais da Femama Thiago Turbay. A assistente social Conceição Balbino, presidente da AMO; a assistida pela AMO Valdete do Nacimento (que proferiu na tribuna sua experiência com o câncer de mama avançado); o secretário de saúde do município de Nossa Senhora do Socorro Saulo Eloy; gestão, equipe técnica, voluntários e assistidos da AMO; representantes da prefeitura de Nossa Senhora do Socorro; e representantes da Associação de Apoio ao Adulto com Câncer do Estado de Sergipe – AAACASE.

Skip to content