AMO ORIENTA PACIENTES ONCOLÓGICOS SOBRE VACINAÇÃO CONTRA GRIPE E REFORÇA SUA IMPORTÂNCIA EM TEMPO DE PANDEMIA

22/04/2020

A Associação dos Amigos da Oncologia – AMO orienta os pacientes oncológicos sobre a importância da vacinação contra a gripe, principalmente em tempo de pandemia da Covid-19, ao reforçar a recomendação geral da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica – SBOC de que os pacientes em tratamento de radioterapia, de quimioterapia (venosa ou oral), em terapia-alvo, imunoterapia ou transplantados podem receber anualmente a vacina da gripe, com total segurança.

De acordo com o médico oncologista clínico Michel Fabiano Alves, que possui formação em Oncologia Clínica pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo – Icesp e tem muita experiência no Sistema Único de Saúde e na Saúde Suplementar, uma dúvida frequente dos pacientes oncológicos é se devem ou não se vacinar contra a Influenza, se podem ou não desenvolver os sintomas da gripe e se correm ou não riscos de complicações com a infecção.

“A recomendação é clara! Assim como os idosos, os pacientes oncológicos devem receber a vacina da gripe para evitar o risco de contrair o vírus comum da Influenza, pois essa contaminação pode fazer com que eles precisem ir a um hospital para conter os efeitos danosos de uma infecção. Agora [com o novo coronavírus], mais do que nunca, é importantíssimo que os pacientes oncológicos recebam a vacinação contra a gripe”, garante o oncologista clínico.

Segundo a SBOC, a vacina contra a influenza é segura, pois é constituída por vírus morto e, por isso, pode ser administrada com segurança, em dose única, anualmente. A sociedade alerta, também, que os pacientes com tumores sólidos ou hematológicos estão incluídos no grupo de risco maior para infecção e complicações de Influenza e, por isso, têm prioridade e recomendação formal para a vacinação. Sobre a resposta à vacina, ressalva poder ser variável nos pacientes em tratamento quimioterápico, em razão disso, o recomendável é administrá-la entre os ciclos de quimioterapia.

“A maioria das quimioterapias não contraindica a vacinação da gripe, porque ela é constituída de vírus inativado. A vacina é segura, é indicada e é recomendada para todos os pacientes oncológicos. Não deixem de ser imunizados! Havendo dúvidas, a orientação é questionar os médicos assistentes para saber qual o melhor momento para tomar a vacina”, aconselha o oncologista Michel Fabiano, ressaltando a importância dessa imunização para facilitar o diagnóstico e não causar confusão nas equipes médicas com os sintomas da gripe e do novo coronavírus.

CAMPANHA NACIONAL
A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe 2020 abrange todos os estados brasileiros. Foi dividida em três fases e teve um investimento de R$ 1,1 bilhão na aquisição de 79 milhões de doses da vacina. Produzidas no Instituto Butantan, as vacinas são compostas de vírus inativado, são do tipo trivalente (rede pública) e protegem contra três cepas: H1N1, H1N3 e Influenza B.

A primeira fase da campanha foi destinada a idosos e profissionais da saúde. A segunda fase, iniciada na última quinta-feira, 16 de abril, segue até 8 de maio e tem como um dos grupos prioritários as pessoas com doenças crônicas como o diabetes, a hipertensão e o câncer. Por fim, a terceira fase abrangerá outros públicos e terá seu encerramento em 22 de maio.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a campanha nacional foi antecipada para o mês de março. A proposta de antecipação visou evitar uma eventual dupla infecção da gripe e da Sars-Cov-2, o que sobrecarregaria o sistema respiratório da pessoa infectada, além de ser uma estratégia de política pública para auxiliar os profissionais de saúde a diferenciar a gripe da Covid-19.

* Com informações do Ministério da Saúde e da SBOC

Foto: Arquivo Institucional/ Imunização Contra a Gripe para Pacientes, Voluntários e Comunidade na Sede Institucional da AMO/ Parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju/ 2017

Skip to content